marchistas5Uma releitura das marchinhas de carnaval e o pagode misturado ao pop e à MBP. Essa é a mistura da terceira noite do “Brasileira 6 e meia”. Abrindo a noite, todo o swing de Será Arrieti (Inimigos da HP) e um encerramento em clima de carnaval com Os Marchistas. E para deixar todo mundo com água na boca esperando a quarta noite de shows o “Cordel Brasileira” segue ao som do Grupo Percussivo Iyá-Batá no ritmo do samba-reage. ENTRADA GRATUITA – senhas distribuídas 1h antes.

Os Marchistas.
Entre as décadas de 1920 e 1960, as marchinhas reinavam soberanas nos carnavais brasileiros e apesar de surgirem em Recife, foi no Rio de Janeiro que elas ganharam destaque nacional. Da pioneira Ó Abre Alas, de Chiquinha Gonzaga – gravada em 1899, até A Banda, de Chico Buarque – composta em 1966, as marchinhas se sofisticaram, incluíram novos equipamentos musicais, trataram diversos temas do cotidiano brasileiro, sem perder, contudo, uma de suas características mais peculiares: transmitir alegria aos foliões. É nessa praia que navega Os Marchistas. Com novas canções e releituras para antigos sucessos, a banda traz a cadência do ritmo, o deboche da letra e a alegria de quem vai fazer a festa e pretende preservar este patrimônio cultural imaterial que são as marchinhas de carnaval. A banda é composta por Tenison Del Rey (cantor, compositor e produtor musical, um hit-maker do Axé Music), Marcelo Quintanilha (cantor, compositor e publicitário paulista) e Thathi (cantora, guitarrista e compositora).

FOTO SEBA ARRIETI

Sebá Arrieti (show de abertura).
Sebastian Matias Arietti (Sebá) é compositor e vocalista da banda brasileira de pagode Inimigos da HP e, em paralelo, mantém seu projeto independente misturando o pagode a outros ritmos e referências musicais que vão do pop à MPB. Sempre cheio de alegria e energia, seu show traz um repertório que vai de Jorge Benjor a Djavan, passando ainda pelo Jota Quest e Tim Maia.

Grupo de Percussão Iyá-Batá. Composto por Mestre Dinho Gonçalves (regente e arranjador), Bel Besse, Blec Paulo, Carlinha, Júlia, Michell Siandela, Yuri Alexander e David Mariano, o grupo se caracteriza pela pesquisa de ritmos genuinamente brasileiros. Durante todos os dias do Festival, eles puxarão o “Cordel Brasileira”, verdadeiro arrastão rítmico que levará o público, ao final de cada noite, do Centro Cultural dos Correios para a rua.

 



Leave a Reply